Name:
Location: Portugal

Monday, February 12, 2007

O 11 de Fevereiro de 2007



Congratulamo-nos, não por ter sido a vitória do nosso voto, mas pela vitória das mulheres portuguesas no sentido da liberdade.
Foi um parto demorado e doloroso, antes feito abortar pelos «defensores da vida», quantos deles(as) inconscientes daquilo que verdadeiramente estava em causa …
São sempre os escravos, aqueles que mais dificuldades têm em reconhecer a sua própria escravatura e, por isso mesmo, em lutar contra ela.
O aborto é um mal, estamos de acordo! Mas deixamos à liberdade de cada um(a), conforme a sua situação, decidir o que de melhor tem a fazer sem nos intrometermos na sua vida.
Todo o nosso respeito também para os defensores do não, que têm agora uma oportunidade única de mostrarem aos outros a sua coerência, honestidade e entrega totais pela causa que defenderam, impedindo as mulheres de abortarem, pela criação das condições psicológicas, sociais e económicas necessárias para que cada grávida possa ter a possibilidade de criar o seu filho em condições de dignidade e desafogo, sem precisar de recorrer a medidas extremas.
Sim, este é o momento ideal para os defensores do não mostrarem a sua superioridade, a superioridade dos seus ideais. Porque é muito fácil escondermo-nos atrás de uma lei impeditiva e depois ficarmos a tratar das nossas vidinhas, de consciência tranquila porque fizemos a escolha correcta, e não nos preocuparmos mais com quem sofre uma gravidez que não pode levar até ao fim pelas mais variadas razões.
Não percam esta oportunidade, e terão o nosso eterno respeito e agradecimento, caso contrário ficaremos a suspeitar das vossas intenções.
Também a hierarquia da igreja tem aqui a sua oportunidade de defender REALMENTE a vida, se nos quiser fazer esquecer de todo, um passado de crimes contra a mesma vida. Se não a aproveitar, a sua honestidade estará em causa e não haverá teologia que a desculpe.
A responsabilidade está do vosso lado. O sim pode ter sido uma benesse para todos! Há que a saber aproveitar!

Vamos salvar todas as vidas humanas e toda a vida na terra mudando radicalmente o nosso comportamento e as nossas relações económicas?

16 Comments:

Anonymous Sindarin said...

Olá meus queridos amigos! Já sabiam a minha posição a favor do não, mas cá estou eu a felicitar-vos pelo sim. A vossa última frase encerra mto do k eu poderia dizer...há k saber aproveitar, sim! com consciência, com ponderação para k ñ se banalize e ñ se venha a dar razão mais uma vez a quem (neste país) nunca vê mto proveito nas coisas que mudam. Deixo um grande beijinho e espero depois disto ainda vos ter por amigos. Mais uma vez Parabéns ao sim.

6:00 pm  
Anonymous Luis said...

Sindarin, porque haveriamos de deixar de te dar a nossa amizade?
Do mesmo modo que tu não nos negaste a tua apesar das diferenças...
E, acredita, houve quem o fizesse! Mas mesmo esses podem contar com a nossa, sem condições.
Um beijo!
Luis

6:32 pm  
Blogger Conceição Bernardino said...

Olá,
“A paciência tem mais poder do que a força”. Não meça um ser humano pelo seu poder político e financeiro. Meça-o pela grandeza dos seus sonhos e pela paciência em os executar.
Frase de Plutarco,


ConceiçãoB
Uma boa semana
http://amanhecer-palavrasousadas.blogspot.com

3:01 pm  
Blogger MiguelAugusto said...

O estranho é que o sim ou o não ao aborto nunca foi referendado! O que se referendou foi se era um crime ou não!
O caminho para leis mais justas foi assim aberto!

4:49 pm  
Anonymous tb said...

O que votei foi o fim à opressão de actos que devem ser da livre escolha das pessoas.
Sempre defendi na minha actuação diária que as pessoas devem fazer as suas escolhas de uma forma consciente e responsável e não por medo da repressão, julgamento ou cadeia. O facto delas o não fazerem tem raízes muito profundas e começa nos pais que batem nos filhos porque estes lhes desobedecem, etc etc, casos tão bem aflorados na vossa novela/romance/história virtual/real.
Sim Portugal está de parabéns porque abriu as portas a leis cada vez mais justas, assim saibam as pessoas lutar por elas. Estão de parabéns também vocês, meus amigos, por terem feito este magnífico texto.
Beijinhos

6:39 pm  
Blogger o alquimista said...

Um sorriso às vezes é solto na lágrima vinda do céu do teu mais profundo sentir...

Mágico beijo

11:23 pm  
Blogger maresia_mar said...

Olá amigos,
na minha visita apressadinha não posso deixar de vos desejar um feliz dia de S. Valentim.. que o amor vos invada a alma... Bjhs

1:46 pm  
Blogger zezinhomota said...

Olá amigos;

Estou convicto de que neste momento a única resposta que todo o Português deveria ter dado a este referendo seria o "SIM".
Porquê?
Porque a lei existente não tinha interesse nenhum e não protegia nem o feto, nem a mulher, pela razão simples de que...
A mulher se abortava, estava em condições deploráveis e animicas e quem as ajudava a tomar a decisão mais correcta? ninguém!
Agora já existe a possibilidades de a mulher ter todos os apoios necessários e quantas chegarão à conclusão que não querem abortar?
Depois as que sigam em frente, não terão a justiça atras delas e mais...
Deixarão de engordar a carteira dos falsos moralistas que o que lhes interessavam eram as mulheres a chegarem aflitas e esses maus profissionais que faziam-no pelo dinheiro e sem condições mínimas de higiene...

Para finalizar...

O homem no meio disto tudo deveria ter servido de conselheiro e amigo e nunca como existindo para obrigar a mulher a fazê-lo quase como contraceptivo...

Beijo

ZezinhoMota

5:09 pm  
Blogger zezinhomota said...

E um abraço ao Luis...

ZezinhoMota

5:11 pm  
Blogger Conceição Bernardino said...

Olá,
Ser feliz, do ponto de vista da psicologia, não é ter uma vida perfeita, mas saber extrair sabedoria dos erros, alegria das dores, força das decepções, coragem dos fracassos. Ser feliz neste sentido é o requisito básico para a saúde física e intelectual.
Paragrafo retirado do livro “Nunca desista dos seus sonhos” do autor augusto Cury.

É dos sonhos que eu vivo com os pés bem assentes na terra, força!
Beijinhos
Conceição Bernardino

Meu blog- http://amanhecer-palavrasousadas.blogspot.com

5:01 pm  
Anonymous nqdn said...

Words of poetry!

9:40 pm  
Anonymous Paula e Rui Lima said...

Olá!

Se gostam de cinema venham visitar-nos em

www.paixoesedesejos.blogspot.com

todos os dias falamos de um filme diferente

Paula e Rui Lima

11:17 am  
Anonymous bitu said...

Oxalá os nossos governantes saibam fazer bom uso deste resultado e já que foi sim que as mulheres possam ser sempre atendidas dentro do prazo estipulado.Infelizmente estava doente e não pude votar ....respeito e compreendo a decisão de uns e outros. Beijinho e bom fds

12:44 pm  
Anonymous In Loko said...

Subscrevo e concordo com este texto que creio foi escrito pelo Luis. o SIM venceu e espero que daqui para a frente acabe a humilhação das mulheres, que por várias razões, optem pelo aborto. A escolha não é fácil pelo contrário, mas agora podem fazê-lo em segurança, higiene e legalizado. Desconfio que os abortos clandestinos não vão acabar com este SIM, mas sei que eles vão ser bastante mais raros, e isto já é um grande ganho! Beijinho e abraço..

4:09 am  
Anonymous Carla said...

Parabéns pelo texto, e mais ainda pela pergunta final, beijinhos

11:35 pm  
Blogger Adryka said...

Olá luis e Isa, amiga sempre. Bjs

5:12 pm  

Post a Comment

<< Home