Name:
Location: Portugal

Friday, April 27, 2007

Virtual Realidade Parte 83


Contra o que eram os seus hábitos de prudência, Eduardo arriscava uma velocidade mais elevada em direcção a Leira para tomar a auto-estrada até Aveiro. Queria chegar o mais depressa possível e nem olhava a paisagem frondosa e verdejante, convidando a uma paragem contemplativa, apesar do inverno e de haver muitos quilómetros de terreno queimado no último verão pelos destruidores da natureza. Naquele momento a sua prioridade era chegar perto da hora do almoço. Abrandou a velocidade e pegou no telemóvel, digitando o número do Pedro.
─ Bom dia Pedro!
─ Eduardo?
─ Sim, sou eu. Dá para irmos almoçar os dois ao Evaristo? Tenho novos dados sobre o caso e queria primeiro falar a sós contigo. Dá-te jeito?
─ Eduardo, que prazer ouvir-te! Olha, vai ter a minha casa e almoçamos lá os dois. A Teresa e os miúdos hoje não almoçam em casa e estaremos à vontade.
─ Ok ! Um abraço.
─ Mas há algo de mais grave sobre o assunto?
─ Nada, fica descansado. Só que descobri quem é o fulano. Depois conto-te tudo. Até já.
─ Até já.
Enquanto Eduardo continuava a alta velocidade, Luísa e Cristina desciam à praia para fazerem a caminhada matinal à beira-mar.
O mar, muito calmo, com as suas águas de um verde-azul transparente, reflectindo o sol que brilhava por cima delas, parecendo que as beijava, convidava a um banho. Olharam uma para a outra e correram em direcção à água, deixando a roupa espalhada pela areia.
Nuas, expondo os seus lindos corpos às carícias do sol, entraram na água:
─ Brrr, está fria! ─ Gritou Luísa.
─ Está gelada! ─ confirmou Cristina.
As duas belas ninfas, divertidas a chapinhar na água, transformaram, por momentos, aquele bocado de praia, sem mais ninguém à vista, na ilha dos amores a que só faltavam os navegadores para colher o merecido prémio.
─ Somos mesmo malucas para nos metermos na água do mar nesta altura do ano!
─ Somos mesmo! Não sei o que nos deu. Eu nunca fiz isto antes, e tu?
─ Eu também não.
Saíram rapidamente da água e caminharam um pouco, tiritando, até se sentirem secas. Vestiram-se e sentaram-se na areia a admirar aquela imensidão de água.
─ Acreditas que isto me deu tanto prazer que até me esqueci do meu problema?
─ Ainda bem, amiga. Quero ver-te feliz como neste momento eu sou. Estamos a ajudar-te e vai tudo correr bem. Em breve estarás livre dele e poderás entregar-te à tua felicidade.
─ Espero bem que sim. O que seria de mim sem ti?!
─ Deixa-te disso. Olha, tenho um convite para te fazer.
─ Sim…
─ Está a chegar o Natal. O melhor Natal da minha vida, excepto quando era pequenina e ia desembrulhar as prendas que o Menino Jesus me deixava no sapatinho. Vou ter a casa cheia de gente, contando contigo, o Rui e o teu filho. Também vem o Eduardo e o pai, que ainda não conheço.
─ Obrigada pelo convite amiga. Gostaria muito de ir, mas primeiro tenho que falar com o meu filho e com o Rui. Depois confirmo. No que depender de mim, não faltarei. Quando vem a Rita?
─ A Rita vem oito dias antes e a Sandrine também. Tenho saudades daquelas duas na minha cama a contar as peripécias do dia-a-dia. Mas isso já pertence ao passado.
─ Agora tens o Eduardo na tua cama. ─ disse Cristina, provocadora.
─ Não sejas mazinha! ─ pediu Luísa a rir.
─ Vamos embora menina? ─ sugeriu Cristina, levantando-se.
─ Vamos. ─ respondeu Luísa, levantando-se também.
─ Ainda tenho compras para fazer e quero estar atenta aos movimentos do Victor. Foi muito bom ter falado convosco, sinto-me mais forte. Quem tem amigos assim sente-se sempre segura. Obrigada! – disse Cristina dando-lhe um abraço com grande satisfação.
─ Não te esqueças das recomendações do Eduardo; tem muito cuidado. E não deixes de pedir ajuda ao mínimo sinal de perigo.
─ Não deixarei.
As duas amigas despediram-se e encaminharam-se para casa
Eduardo chegou por volta da uma hora da tarde a casa de Pedro. Logo que entrou na rua viu o carro do amigo e estacionou atrás dele.
Tocou a campainha e Pedro, de mangas arregaçadas e avental, veio abrir a porta.
─ Olá Eduardo! Vai entrando que eu hoje estou de cozinheiro. A Teresa deixou já tudo em ordem; Põe a aquecer no microondas, se não te importas, enquanto acabo de fazer a salada.
─ Não importo nada! Onde está?
─ No forno.
─ Isto de cozinhar, calha a todos.
O almoço era composto por carne assada no forno com arroz uma salada variada, queijo e fruta, regado com água, pois a tarde prometia trabalho.
─ Vai-me contando tudo para irmos aproveitando o tempo. Estou ansioso por ver este pesadelo acabar. Eu e a Teresa temos andado num estado de nervos que nem imaginas. Esta situação está a afectar muito a nossa relação. Discutimos muitas vezes trocando acusações e agressões verbais.
─ Calma Pedro isso só complica! A Inês precisa de sentir que é apoiada e que o ambiente em casa está harmonioso como sempre esteve. Não adianta atirar as culpas para cima de ninguém. Tens de ter a força, a calma, a compreensão e a paciência necessárias para aguentar esta fase. Daqui a pouco, espero, tudo voltará ao normal.
A comida aquecia no microondas e os dois iam pondo a mesa, enquanto Eduardo continuava:
─ Não me leves a mal, mas digo-te, com toda a convicção, que tudo isto teria sido evitado se a vossa atitude para com os vossos filhos tivesse sido outra desde o início. Um dia destes falaremos sobre isso com mais tempo, se quiseres. Agora o que importa é avançar e eu vim aqui para te dizer que, por uma feliz coincidência, descobri quem é o gajo.

Sentaram-se os dois à mesa para almoçar, sem interromperem o diálogo.
─ Quem?
Eduardo contou ao amigo tudo o que tinha descoberto nos dois últimos dias. À medida que ia contando, invadia-o de novo aquela indefinível sensação de angústia, pela sua impotência em acabar com pessoas como Victor. Compreendia que Victor era uma vítima de um sistema educativo repressivo, mais acentuadamente no tempo da ditadura, mas também sabia que, no contexto da sociedade actual, a solução consistia na polícia e nas prisões, como únicos meios de defender as crianças e a sociedade em geral de actos criminosos. Meios pouco eficazes, por sinal, o que o deixava sempre com uma enorme revolta, quando pensava nisso e, para mais, sabendo que, se se mudasse o rumo da educação, tudo isso passaria à história.
Pedro, por seu lado, ia alterando a sua fisionomia, ficando vermelho e com os olhos dilatados pela raiva. Com a voz alterada, dando um murro na mesa, berrou:
─ Diz-me onde esse sujeito mora, que eu acabo com ele de uma vez! Não fará mal a mais ninguém.
─ Tem calma! Queres deitar tudo a perder? Bem, é assim: já tenho comigo um cd, com as provas de que o Victor teve certas conversas com a Inês e um encontro marcado com ela que, entretanto, ficou sem efeito, visto que entrámos em acção. Não sei se estas provas serão suficientes, por isso vou passá-las à Sara para que as leia e continue a dar seguimento ao encontro. Ela arranjará outras com certeza.
─ O encontro vai ser com a Inês? ─ perguntou Pedro, preocupado pela filha.
─ Provavelmente vai ter de ser, sim.
─ Nesse caso não seria melhor avisar a polícia e não expor a Inês ao encontro? Ela assim não teria que passar por essa afronta.
─ Pedro, tem que haver provas concretas para meter este pedófilo na cadeia. Eu por mim até fazia justiça pelas minhas próprias mãos. Mas fica tranquilo que faremos tudo para que a Inês não corra riscos. Quando for o encontro teremos a polícia alerta. Agora vou falar com a Sara a ver o que ela sugere e depois ponho-te ao corrente de tudo. Quero que acompanhes o desenvolvimento do plano.
─ Está bem. Confio em vocês.
O almoço estava no fim e era tempo de saírem para o trabalho. Mas, de tão interessados na conversa, nem deram pela passagem das horas. Pedro olhou para o relógio na parede e, aflito, levantou-se e disse:
─ O tempo passou rápido, está na hora de ir.
─ Sim, vamos então. Tenho dois clientes para visitar.E os dois amigos despediram-se indo cada qual para os seus afazeres.


Continua...


19 Comments:

Blogger SILENCIO said...

As realidades do virtual sempre tão bem escrito por vcs.

Tenham um bom f semana. Beijinhos

10:50 pm  
Anonymous tb said...

A educação das crianças principal mola impulsionadora dos homens de amanhã. Sempre muito bem patente ao longo das preocupações dos autores que as entrelaçam maravilhosamente bem com o desenrolar da história. :)
Beijinhos

10:54 pm  
Anonymous Diva said...

Continuo com a leitura em dia;)Mais um capítulo e cada vez mais vontade de saber como vão apanhar aquele mauzão!
Bom fds
Beijokas 1000

12:14 am  
Anonymous Nanci said...

Ola amigos...demoro mas coloco tudo em dia rapidinho pra não perder nada....e fico a roer as unhas querendo saber mais e mais....
fiquem bem, se cuidem...e até a proxima
bjs mil

5:30 am  
Blogger Amor Eterno said...

♡•*´¨`*•.¸¸.•*´¨`*•.¸¸.•*´¨*•♡ *
¸.•´¸.•*´¨) ¸.•*¨) ¸.•´¸.•*´¨) ¸.•*¨)
* ¸.•´¸.•*´¨) ¸.•*¨) *
•*´O dia mais desperdiçado de todos .•
*´`*é aquele no qual não demos .•*´
.•* *´´ um único sorriso. .•*
. .•*Então sorria muito e tenha um.... . .•
•* *´`´ Bom fim de semana!!!
•* *•* *´` .•* .•*
•* *´`´•* *´`•* *´`•* *´`´
¸.•´¸.•*´¨) ¸.•*¨) ¸.•´¸.•*´¨) ¸.•*¨)
* ¸.•´¸.•*´¨) ¸.•*¨) *

6:35 pm  
Blogger PoesiaMGD said...

Esperemos que tudo acabe bem...

10:38 pm  
Anonymous Nylda said...

Olá Isa&Luís...
Espero e desejo que vocês estejam bem.
Obrigada pelo carinho e visitas que sempre fazem ao meu mundinho.
Amo vocês.
"Que a estrada se abra à tua frente,
Que o vento sopre levemente às tuas costas.
Que o sol brilhe morno e suave em tua face.
Que a chuva caia de mansinho em teus campos.
E até que eu volte aqui de novo,
que Deus te guarde na palma de suas mãos"...
Um excelente fim de semana te desejo.
Beijos e um sorriso.

11:35 pm  
Anonymous bitu said...

Ás vezes temos pressa de chegar....pior é quando ficamos a meio caminho.
Tudo de bom para vcs neste fds prolongado.
jinhos

6:52 pm  
Blogger Papoila said...

Olá!
Enquanto narram a história que me deixa sempre ansiosa para vos continuar a ler para saber como este ser execrável vai ser desmacarado as vossas considerações sobre educação são muito pedagógicas.
Beijo

9:07 pm  
Blogger Cristina said...

continuo a ler, em suspense para saber o que vem a seguir
:)

10:51 pm  
Blogger Baby said...

Meus queridos, venho a correr deixar um beijinho e agradecer a visita, volto depois para ler, com calma, para não perder pitada.

3:08 pm  
Anonymous In Loko said...

Olhem se eu soubesse onde fica aquela praia lá estaria para ver aquelas ninfas tomando banho nuas... sorrio!!! Bom, a caça ao safadão do Victor está bem engendrada, o Edu é bom nestas coisas, sempre muito lúcido lá vai tecendo a teia, e que teia. E desta vez, no natal belíssimo que se aproxima, é que Rita vai ficar com coraçãozito aos saltos! Estou a fazer figas para que a armadilha corra bem, o safadão desta não escapa!... É um gosto enorme ler-vos! Beijinho e abraço.

5:21 am  
Anonymous Carla said...

Ola, o Restaurante é bom e o banho na praia ainda melhor, este verão espero também dar um mergulho...quanto ao Victor, estou ansiosa que ele seja apanhado, espero que nao demore muito, beijinhos

10:06 pm  
Anonymous anne said...

Pedofilia, um assunto que enoja e parabéns por ser bem lembrado no vosso texto.
Estarei sempre aqui a ler e agradecer pela excelente literatura. Bjussssssss. muitos!

12:22 am  
Blogger Betty Branco Martins said...

Queridos Isa e Luis

Estou de volta:))

Obrigada pela visita.

Volto mais tarde para te ler e comentar

Beijos com carinho

1:34 am  
Blogger MiguelAugusto said...

É sempre importante deixar que sejam os caminhos da justiça a fazer o seu trabalho, apesar de compreender que em certas situações os outros caminhos sejam tentadores...

10:27 am  
Blogger lena said...

Isa e Luís, meus queridos amiguinhos

revi através da vossa excelente escrita o caminho que o Eduardo percorreu, se ele fosse ao Evaristo almoçar eu estava lá certamente e a Luísa tinha que se cuidar, podia perder o lugar...

bem já brinquei um pouco, neste assunto tão sério, o que se está a passar neste momento no vosso capítulo é um alerta muito grande, pois no mundo virtual muito acontece, nem tudo é bom, estes casos têm que ser desmascarados, principalmente quando o alvo é uma menor

como de costume e já me habituei a ler-vos assim, onde surgem surpresas atrás de surpresas, fiquei rendida a mais este capítulo

já estou à espera de outro

um abraço apertado, carregado de carinho e amizade

beijinhos divididos ao meio que o meu cheiro a maresia chegue até vós

e meninos sabem que vos adoro?

lena

12:26 pm  
Blogger Baby said...

E voltei, e li, sempre ansiosa, o desenrolar da trama. Amanhã chegará novo capítulo,voltarei.
Beijos e votos de bom fim de semana.

4:28 pm  
Blogger Jorge Bicho said...

Isa & Luis
desculpem a ausência, espero em breve estar mais presente.
entretanto não quero deixar de dizer que vos sigo sempre com muito amor e carinho.
beijos nessas almas lindas

7:22 pm  

Post a Comment

<< Home