Name:
Location: Portugal

Friday, August 17, 2007

Virtual Realidade Parte 99


Até Eduardo, que não era especial apreciador de marisco, comeu sem protestos e repetiu o prato.
─ Tu excedeste-te! ─ disse dirigindo-se a Teresa que, desde a primeira garfada, tinha notado que o havia surpreendido.
─ Como podes dizer isso se tu nem gostas de marisco?
─ Não sejas cruel e deixa-me abrir uma excepção desta vez. Aliás, devia zangar-me contigo!
─ Mas que mal fiz eu? ─ perguntou Teresa.
─ Ainda te atreves a perguntar?! Isto foi uma autêntica traição, saberes que eu adoro salmão e espetares-lhe com as gambas em cima?
─ Ah, ah, ah! ─ riu Teresa.
─ Só te perdoo porque está tudo divinalmente bom.
─ Com os cozinhados da Teresa ainda te vais converter ao marisco. ─ sentenciou Pedro a rir, orgulhoso dos dotes culinários da esposa.
─ Quem sabe! ...
─ A Sara está a gostar? ─ perguntou Teresa
─ Sempre gostei muito de marisco e cozinhas muito bem. ─ respondeu Sara, começando a tratar Teresa por tu. ─ O Eduardo já me tinha contado. Eu só sei fazer o trivial. A minha vida nunca me permitiu dedicar-me muito à cozinha e, vivendo só, nunca tive necessidade de o fazer.
─ Obrigada! Queres que te sirva um pouco mais? ─ perguntou Teresa, ganhando subitamente confiança para a tratar por tu também.
─ Acho que vou esquecer a linha e aceitar. Obrigada!
─ Não me parece que te devas preocupar com isso. ─ aconselhou Eduardo. ─ Estás muito bem! ─ dirigindo-se ao amigo: ─ Não achas Pedro?
─ Absolutamente! E aqui a Teresa também não: está sempre elegante, sem se preocupar muito com o que come. ─ respondeu o marido de Teresa para não parecer que só prestava atenção a Sara.
─ Acho que uma preocupação excessiva com a linha é doentia, quando não se tem tendência para engordar! ─ disse Sara.
─ Mas deve-se ter algum cuidado com a qualidade do que se come, na medida do possível. ─ avisou Eduardo.
─ Claro que sim! ─ respondeu Sara
─ De qualquer modo estão as duas muito bem! ─ elogiou Eduardo.
─ Obrigada! ─ responderam as duas mulheres.
─ Já agora, o que acham as senhoras da nossa elegância? ─ perguntou o tio Edu a rir.
─ O Pedro está muito bem. ─ exclamou Teresa.
─ Então e eu?!
─ Acho que engordaste um bocadinho desde há algum tempo para cá. ─ respondeu Teresa, a rir, para provocar o amigo com quem tinha a confiança de poder dizer tudo.
Sara olhou de soslaio para Eduardo, para ver como ele reagia.
─ Ah sim?! E nota-se muito? Por essa eu não esperava! Ah, ah, ah! Pois eu garanto-te que a balança não tem notado nada. Mas se assim é a culpa é tua por cozinhares tão bem.
─ Agora a culpa é minha! ─ ripostou Teresa.
─ Eu acho que estás muito bem! ─ defendeu Sara.
─ Obrigado pelo teu carinhoso apoio! Veio mesmo na hora. Começava a ficar deprimido. A Teresa além de me dar marisco ainda me chama gordo! ─ disse Eduardo, olhando Sara com simpatia.
Risada geral.
─ Não tens namorado? ─ atalhou a Inês que, cheia de curiosidade, esperava o momento oportuno para se dirigir a Sara.
─ Menina, isso é pergunta que se faça? ─ advertiu o pai.
─ Tem algum mal? ─ ripostou a filha.
─ Claro que não, minha querida. Daqui a pouco vamos conversar a sós, de mulher para mulher, e contar todos os segredos uma à outra. Ok?
─ Combinado!
─ E vais poder fazer-me todas as perguntas que quiseres.
─ Eu só queria fazer uma. ─ aproveitou o André.
─ Qual?
─ Tu gostas do tio Edu?
─ Gosto muito! ─ respondeu Sara, sem hesitar, com a mesma inocência do miúdo.
─ Nós também.
Eduardo olhava surpreendido ora André, ora Sara, sentada a seu lado. Pedro e Teresa tentavam descobrir nos rostos do amigo e da escritora algum sinal de cumplicidade amorosa, mas, se a havia, não ficaram mais esclarecidos.
Depois de um pequeno silêncio, apenas entrecortado pelo ruído dos talheres, Pedro interveio mudando de assunto:
─ É a primeira vez que conhecemos alguém que escreve livros e agora recebermos assim, uma escritora em nossa casa é algo que…
─ Não me faças sentir importante! Fico corada e perco o jeito. ─ interrompeu Sara a brincar.
─ E como sabes que ele ia dizer bem de ti? ─ brincou Eduardo.
─ Pronto, precipitei-me! Peço desculpa. ─ respondeu Sara a rir.
─ Foste atrapalhar ainda mais a tua amiga. ─ acusou Teresa. ─ O que vai ela pensar de nós?
─ A nossa amiga! ─ corrigiu Eduardo. ─ Vai pensar mal, mas só o dirá num dos próximos romances.
─ Sim, «Os amigos dos nossos amigos, nossos amigos são»!
─ O que quer dizer isso, mamã? ─ perguntou André.
Teresa explicou ao filho.
─ Andas a escrever algum livro agora? ─ perguntou Inês.
─ Sim, estou a acabar um novo romance.
─ Depois quero ler. E gostaria muito que me ensinasses como se escreve. Já tenho feito uns pequenos contos.
─ Daqui a pouco vais-mos mostrar, está bem?
─ E corriges o que estiver mal?
─ Claro que sim! Com todo o gosto. ─ respondeu Sara com um sorriso de sincera simpatia pela causa da Inês.
─ Obrigada!
─ Eu não sabia que tu escrevias. ─ disse Eduardo.
─ Queria fazer umas correcções antes de te mostrar.
─ Eu podia ter-te dado uma ajuda.
─ Mas tu não és escritor! ─ explicou o irmão, cheio de lógica.
─ Nós também não sabíamos. ─ informou Teresa, mostrando-se surpreendida.
─ Vou dizer à minha prof de português e aos meus amigos que conheci uma escritora. ─ disse o André, convencido do prestígio que o conhecimento daquela nova amiga lhe traria junto dos colegas.
O almoço aproximava-se do fim e Eduardo reparara que a Inês tinha comido bem. A excitação pela presença da nova amiga levara-a a esquecer-se da dieta e tinha comido com apetite.

Continua...

10 Comments:

Blogger tb said...

Aflorando ao de leve problemas sérios do comportamento humano, esta história continua a levar-nos com agrado percorrendo a história dos protagonistas.
Muito bom.
Beijinhos

8:19 pm  
Anonymous Carla said...

O almoço estava mesmo bom, o prato ficou limpo, lol... estou na espectativa de ver como a Sara irá abordar a Inês, acerca do amigo que conheceu na net,assunto muito delicado... beijinhos

10:00 pm  
Blogger A COR DO MAR said...

Oi amigos

então tambem estao em Perto do Mar? digam-me o nr da vossa porta para irmos junto ao banho :)))

Beijoquinhas Isa e Luis e boas férias ;**

7:25 pm  
Blogger A COR DO MAR said...

Coloquei a moldura com a vossa foto no meu blog,)**

7:28 pm  
Anonymous Sindarin said...

Olá meus queridos amigos! Estou de volta para agradecer o vosso carinho. Já tinha tntado várias vezes mas o link k me deixam diz k a página ñ foi encontrada (estranho...) felizmente consegui. Pois é como diz a vossa história, tb eu acho k esqueci a dieta estes dias (h!ih!) Um imenso beijinho amigos. A história continua fantástica.

8:51 pm  
Blogger ♥≈Nღdir≈♥ said...

., . - . - , _ , .
.) ` - . .> ' `(
/ . . . .`\ . . \ Ofereço uma rosa
|. . . . . |. . .|
. \ . . . ./ . ./
.. `=(\ /.=` toda perfumada
.... `-;`.-'
......`)( ... , para aromatizar
....... || _.-'|
........|| \_,/a tua Semana...
........|| .*´¨)
¸.•´¸.•*... ¸.•*¨)
(¸.•´ (¸.•` *
*´¨) мιℓ вєιנoѕ♥*♥
¸.•´¸.•*... ¸.•*¨)
(¸.•´ (¸.•` **♥*♥

9:08 pm  
Anonymous In Loko said...

Caramba e vim eu a estas horas da matina ao vosso sítio para ficar com água na boca???... marisco, mariscadas, puxa isto num se faz!!! RSSS...

Bom, o jantar correu bem, muito animado e descontraído... até Inês se esqueceu do buraco pequeno do estômago, e comeu que se fartou!

Mais um capítulo muito bom, gosto bastante da vossa maneira de escever, não complicam... a simplicidade, o andamento da escrita faz-me ler sempre em frente, não preciso voltar atrás, e isto é óptimo!
Beijinho e abraço.

6:54 am  
Anonymous casamata said...

Não li antes deste post. Mas aqui acho que o diálogo é excessivamente longo e pouco interessante.
Peço desculpa pela franqueza.

9:28 am  
Blogger Adryka said...

Ol� amigos, mas que belo texto, sendo eu uma fan�tica por romance, penswei para qu� comprar livros se vou ao virtualidades e tenho de gra�a , sempre romances belos e fant�sticos, escrevam que eu adoro ler-vos. Beijinhos

10:42 am  
Blogger Baby said...

Ao fim de uma longa ausência, eis-me de novo de visita aos amigos, um pouco desactualizada no romance virtual,mas cheia de pena de não ter sido convidada para aquele almoço...adoro marisco!
Um beijo amigo para ambos e acreditem, gostei de voltar aqui!

4:22 pm  

Post a Comment

<< Home