Name:
Location: Portugal

Friday, May 25, 2007

Virtual Realidade Parte 87


Sentados no banco, o rosto ainda afogueado e transpirado do esforço dispendido na corrida, Francisco, com as mãos dela nas suas, pousava em Rita um olhar acariciador e interrogativo. Emília, ainda não refeita da surpresa, resolveu manter-se calada, aguardando o desenvolvimento da situação.
Esgotaram-se vários minutos de ansiedade naquele transe de estupefacção em que ambos se sentiam envolvidos. Por fim Rita falou:
─ Desculpa, mas ainda não acredito que te reencontrei!
─ O mesmo se passa comigo. E queria tanto que isto acontecesse!
─ Não me perguntes porquê, mas eu também.
─ Mas vocês dois já se conheciam? ─ perguntou Emília, percebendo que estava a assistir a um episódio daqueles que ela pensava só acontecerem na imaginação de romancistas sonhadores.
─ Sim, viajámos no mesmo comboio quando eu vim para esta cidade pela primeira vez.
─ Ah! Entendo… ─ disse Emília. E dirigindo-se a Francisco: ─ Desculpa! És arquitecto e tens um colega de trabalho que se chama Juan Montoya, que é teu amigo, e trabalham ambos no Patxi?
─ Es verdad! Conhece-lo?
─ Parece incrível o que está a acontecer aqui! O Juan é meu amigo e compatriota.
─ Sim, ele já me contou que tinha, aqui na cidade, uma conterrânea amiga que estudava medicina e que havia de ma apresentar. Então eras tu!
─ Es verdad!
─ Quer dizer que foi contigo que ele foi almoçar no outro dia…
─ Sim, claro. Mas olha que não existe nada entre nós além de uma grande amizade. Eu sei que ele gosta da tua madre. ─ respondeu Emília, justificando-se, porque notou que havia naquela pergunta de Francisco uma segunda intenção.
─ Si. E foram os dois para San Sebastian este fim-de-semana.
─ Mas eu tenho uma pergunta para ti. ─ continuou Francisco, com um sorriso amistoso, dirigindo-se a Rita.
─ Calculava que sim. Queres saber porque nunca te liguei.
─ É isso mesmo.
─ Porque, ainda no comboio, quando regressei ao lugar, a minha mãe pediu-me para abrir a janela e como tinha o teu cartão na mão deixei-o escapar sem querer.
─ E eu a pensar que me tinhas esquecido! Foi um erro muito grande não ter ficado com o teu número.
─ E, afinal, estavas tão perto. ─ disse Rita, lembrando-se que já se podiam ter encontrado, porque a Emília conhecia o Juan. ─ Mas como poderia adivinhar?
─ Mas agora que aqui estamos, finalmente, há alguma coisa a separar-nos?
─ Há alguma coisa a unir-nos?
─ Tu o que achas? Eu sinto-me atraído por ti desde aquele comboio.
Francisco esperava ansioso uma resposta favorável e o olhar de Rita foi mais eloquente do que as palavras que proferiu:
─ Eu também simpatizo contigo. ─ respondeu ela, cautelosa.
─ Bom, vocês devem ter muito que dizer…eu vou indo. Preciso de um banho.
─ Espera! ─ pediu Rita. ─ Também preciso de um banho. Já vou contigo.
─ Temos de combinar qualquer coisa para o resto do dia. O que acham? ─ Inquiriu Francisco.
Ambas ficaram caladas olhando uma para a outra a ver qual responderia.
─ Eu decido por vocês. ─ interveio ele, num registo terno, simpático e descontraído, contrariando a evidente autoridade das palavras. ─ Sem protestos, dêem-me o prazer da vossa companhia para almoçar. Vamos ao banho, encontramo-nos num sítio que vos dê jeito e levo-vos a um bom restaurante. O que dizem?
─ Isso é para vocês os dois; eu não. ─ respondeu a argentina.
─ Não sei porque não hás-de ir connosco. ─ disse Francisco.
─ Porque vocês é que são namorados e eu estarei a mais.
─ Quem falou aqui em namorados? E se vamos ser todos amigos, porque não começamos já? ─ insistiu ele.
Perante o argumento, muito próprio de Francisco, e a sinceridade e delicadeza naturais com que disse aquelas palavras, Emília não foi capaz de recusar.
─ Onde querem que vos vá buscar?
─ Onde moras? ─ perguntou Rita.
─ Num piso da Sancho el Fuerte.
─ Nós nos alojamentos da universidade.
─ Sei onde é. Daqui a uma hora estou lá. ─ disse, olhando as horas no LCD do telemóvel. Valle?
─ Uma rapariga demora a arranjar-se, mas valle. ─ respondeu Rita a rir..
─ Bom, vamos então.
Beijaram-se numa breve despedida de hasta luego.
Pelo caminho Emília disse:
─ Mas que bela surpresa tu tiveste!
─ É verdade! ─ respondeu Rita, com uma expressão de felicidade no olhar.
─ Mas vocês namoravam-se em Portugal?
─ Nem nos conhecíamos!
─ Não entendo…
Rita explicou à amiga como tinha encontrado o Francisco e se tinham falado numa viagem de comboio de Portugal para Espanha.
─ Mas isso parece coisa de romance! Já vi que se apaixonaram logo um pelo outro.
─ Não sei. ─ respondeu Rita, evasiva e sonhadora.
─ Menina, pareceu-me evidente que ele gosta de ti. Aquele modo de te olhar não me enganou. Tu também gostas dele?
─ Penso que sim.
─ Pensas ou tens a certeza?
─ Gosto.
─ Sabes que o Juan mo queria apresentar com a intenção de que pudéssemos chegar a namorar?
─ Ah foi?
─ Pois foi. Se eu não tivesse namorado, roubava-to. ─ brincou Emília. ─ olha que é muy guapo.
─ Ah, ah, ah! Eu matava-te! ─ ameaçou Rita a brincar também.
─ Ainda estou a pensar no modo como nos encontrámos. Que coisa rara e estranha aconteceu!
─ É verdade! Tinhas acabado de pronunciar o nome dele e eis que surge, caído das nuvens, como Ícaro depois de as asas de cera se terem derretido com o sol.
As duas amigas tinham chegado à residência.

Continua...

25 Comments:

Blogger tb said...

A vida reserva boas surpresas a quem a segue e a ama...
Mais um pedaço da história que vai unindo as pontas da vida de gente virtual que bem poderia ser real.
Beijinhos

10:00 pm  
Blogger sonhadora said...

Bom fim de semana!
Beijinhos embrulhados em abraços.

10:10 pm  
Blogger o alquimista said...

Hoje vou celebrar os dons da terra sem a tua companhia, misturar-me com os sons do mundo sem coisa alguma, ao partires abriste em meu coração um caminho...


Bom fim de semana


Doce beijo

10:28 pm  
Blogger Miguel Augusto said...

O amor tem destas coisas, encontros, desencontros, mas sempre a doce e inebrianete emoção que faz o nosso coração disparar quando estamos perto da pessoa que amamos!

11:25 am  
Blogger Ran Norr said...

Que belo almoço vai ser este!
Fantástico!
Vou esperar mais uma semana, para ler de novo... Será que desta vez vamos ter novidades do Victor????
O que quer que seja, será bom! Isso eu sei!
Beijos grandes e força. É delicioso vir aqui!
Bjs

12:50 pm  
Anonymous Diva said...

Espero ansiosa pelo almoço;)
Bom fds:)
Beijokas 1000

1:33 pm  
Blogger Nilson Barcelli said...

Belo capítulo, não há qualquer dúvida.
Bom fim-de-semana.
Beijinhos e abraços.

3:45 pm  
Blogger Alexandra said...

Vim aqui para encontrar algo de bom e, mais uma vez, parto esperando pela próxima oportunidade para, pelo menos, sonhar!

Mesmo ficção é um prazer ler.

Beijos e Bom fim de semana para os dois.

10:37 pm  
Blogger margusta said...

Venho deixar-Vos um enorme beijinho, e Votos de um bom Domingo!...

12:00 am  
Blogger Papoila said...

Muito bem contado este inesperado encontro há tanto eperado e desejado... a impossibilidade de esconder o que se sente quando os gestos falam...
Grande beijo!

5:58 pm  
Blogger Betty Branco Martins said...

Queridos Isa e Luis

Finalmente o encontro__________aconteceu_________são as surpresas maravilhosas da vida. que vocês descrevem com mestria

Beijinhos com carinho
BomRDomingo

6:18 pm  
Anonymous Nanci said...

Encanta-me esses reencontros que o destino nos ajeita...
"Carinho, que delícia, dar ou receber.
A carência é a distância de si próprio.
Não pense em receber e sim em dar.
Dar a si, presentear-se, permitir que seu sorriso alegre um jardim de poucas flores.
Permita seu amor.
O Carinho dado a si mesmo é o que será dado ao outro.
É o que receberá de todos.
É seu passaporte para o país da harmonia e da gratidão.
Seu passaporte é seu documento e seu documento é sua identidade.
Sua identidade é sua essência."

DIAS DE ALEGRIA E PAZ PRA VOCÊS

BJS MIL

8:17 pm  
Anonymous Ane said...

Uau!Estou super contente porque finalmente Rita e Francisco se encontraram!Agora o namoro tem que engrenar!Bjocas!

9:41 pm  
Anonymous bitu said...

Meus queridos amigos e padrinhos, vim agradecer o vosso carinho e dizer que vos adoro de coração.
Deixo o meu endereço e fico a aguardar o vosso mail.
beijinho terno
bitu2@sapo.pt

10:50 pm  
Anonymous Carla said...

Lindo! adorei! Não podia ser melhor! aliás o conto cada vez está mais rico, com muito conteúdo, tens mesmo que publicar o conto... finalmente o reencontro da Rita com o Francisco, beijinhos

11:01 pm  
Blogger maresia_mar said...

Olá meus queridos,
o amor está novamente no ar.. o destino é mesmo assim, o inesperado por vezes acontece... o romance está mesmo num ponto que nos deixa ansiosos pelo próximo capítulo!
Bjhs e boa semana

10:13 am  
Blogger Vera said...

Um encontro inesperado!!! Estava a ler e em pulgas para saber se o Francisco a iria reconhecer ou não. E já estou ansiosa por mais!

Beijinhos

5:01 pm  
Anonymous anne said...

Isa&Luiz, beijos para os dois. Culpo o tempo por não me deixar vir cá, as vezes que desejo. A vontade é de ler, reler e deliciar-me com esses encontros e desencontros, sempre cercados de grandes emoções. Ler-te é sentir com sentimento. Beijo meu e obrigada pela partilha.

8:00 pm  
Blogger PoesiaMGD said...

Um belo encontro num belo conto!
bj

2:57 pm  
Anonymous In Loko said...

Às vezes é tudo tão simples, ou pelo menos parece, os caminhos é que complicam, que raio de coisa! E agora com este encontro inesperado (e esperado no tempo), a paixão vai acontecer repentina... não quero dizer mais nada, aguardo pela inspiração da autora (Isa) :). Beijinho e abraço...

4:21 am  
Anonymous Fallen Angel said...

Olá meus amiguitos.
Venho aqui deixar um grande beijinho com dedicação e ternura.

10:57 am  
Blogger Natalie Afonseca said...

Grande encontro!!! :))))
Sempre com vir cá ler-vos!! :)

Beijinhos grandes:)))))
****

12:14 pm  
Anonymous João said...

Esta fase do romance está ao rubro, conseguiram-me transportar ao local, parece que até ouvi os passarinhos a cantar no cimo das árvores. Romantismo puro. Abraços

5:32 pm  
Blogger Nilson Barcelli said...

Ainda não está pronto o próxima capítulo...?
Já vi que cheguei adiantado...
Bom fim de semana.

10:17 am  
Blogger lena said...

Isa e luis meninos lindos

uma vez mais sentada aqui neste vosso espaço, onde já é impossível deixar de vir ler

o encontro esperado

o almoço que se aguarda

o alegria bem patente em todas as personagens


gostei de me envolver de novo

um abraço meu aos dois, um abraço carinhoso e forte

beijinhos muitos

lena

1:02 pm  

Post a Comment

<< Home