Name:
Location: Portugal

Friday, September 15, 2006

Virtual Realidade Parte 52


─ Olá, Teresa, olá Pedro!
─ Como vais tu? ─ Perguntou o Pedro.
─ Cá vou indo.
E como os filhos não largavam o Eduardo, Teresa sugeriu:
─ Como já fizeram os deveres podes ir brincar um pouco com eles até ao jantar.
─ Com todo o prazer! ─ E virando-se para as crianças: ─ vamos?
─ Vai tu com a Inês. Lembrei-me agora que ainda me falta estudar uma coisa para amanhã. ─ Respondeu o André com pena de não poder ir brincar também.
─ Vem comigo! ─ Convidou a Inês. ─ Vamos para o meu quarto.
─ Ok, tu mandas!
Eduardo reparou que Teresa olhava para ele ansiosa e a sua cara revelava preocupação.
Entraram os dois no quarto da Inês decorado em tons rosa, muito simples e bonito. Mas aquele quarto já não era bem igual ao que Eduardo conhecia antes. Os cortinados outrora cheios de bonecos e flores, perfeitamente adequados a um ambiente infantil, tinham sido trocados por outros mais «adolescentes», revelando ainda o bom gosto que Teresa tinha para essas coisas, e a filha gostava tanto deles que evitava tudo o que os pudesse estragar. A cobertura da cama, sempre igual aos cortinados, também tinha sido trocada. Uma Inês mais crescida tinha exigido as mudanças. Nas paredes cobertas de posters dos modernos ídolos, cantores, bandas de rock e outros, muito comuns em quartos de adolescentes, quase não se percebia a pintura original.
Eduardo já não via as bonecas nem os brinquedos e até as almofadas tinham sido substituídas por outras mais apropriadas. Tudo muito arrumado e apenas uma boneca grande em cima da cama impecavelmente feita. Os móveis assim como o tapete grande aos pés da cama, que era o mesmo onde costumavam brincar, mantinham-se no nível das novas exigências.
─ Tens aqui um belo quarto, mas está tudo mudado! E tantos posters…
Eduardo, que há algum tempo não visitava os amigos, achou grande transformação na sua Inês, como ele lhe chamava. Tanto física como psicologicamente.
“Uma menina a entrar na adolescência, revelando a insegurança e algum vazio interior «próprios» da idade e causados por uma educação tradicional embora pouco repressiva. ─ Pressentiu ao olhar aquelas paredes. ─ O que queria dizer que os problemas vinham por arrasto. Uma idade difícil, como se costuma dizer, atribuindo erradamente as culpas às transformações fisiológicas que se operam na adolescência”.
─ Senta-te aqui no tapete e vamos jogar um jogo.
─ Não queres antes conversar comigo?
─ Pode ser, mas sobre o quê?
─ Há muito tempo que não falamos e gosto de saber de ti, como vão as coisas na escola, se já tens namorado… As ferias foram boas? Conta-me tudo. Sabes que sei guardar segredos. Somos amigos ou não?
─ Sim, e eu gosto de te contar, mas… ─ E a Inês ficou muito triste de repente. ─ Não sei…
─ Não sabes o quê? Passa-se alguma coisa? Confia em mim e conta-me tudo!
─ Acho que estou metida num problema… Muitas coisas se passaram desde a última vez que falamos. Raramente apareces!
─ Como assim?! Conta-me para eu te poder ajudar.
─ Não sei se podes.
─ Nem eu! Terás de me contar primeiro. ─ Eduardo sorriu, pegou nas mãos de Inês e puxou-a para si abraçando-a e dando-lhe confiança. ─ Vá lá, fofinha, o que podes ter assim de tão grave na tua idade? Conta ao tio Edu que ele promete fazer tudo para te ajudar.
─ Sabes que passei de ano mas baixei muito as notas no terceiro período.
─ Sim…
─ E tenho medo de que no ano que começou não consiga ter boas notas. Estou distraída nas aulas e não consigo estudar.
─ Mas porquê? Sempre foste boa aluna e gostas de estudar! O que é que mudou?
─ Vou contar-te tudo, mas não digas nada aos meus pais. Prometes?
─ Não achas que te devias abrir com eles? Quem melhor te poderia ajudar do que eles que te querem tanto?
─ Eles não me entendem. Eu gostava tanto de ter uma tatuagem e um piercing. A minha amiga ficou muito gira. Prefiro contar-te a ti. Espero que não me arrependa, visto seres muito amigo dos meus pais.
─ Sou também muito teu amigo e os amigos não revelam a outros amigos o que sabem dos amigos, senão não são amigos. ─ Respondeu Eduardo a sorrir dando-lhe confiança.
E Inês, pendurada no pescoço do tio Edu entre lágrimas, começou a contar:
─ Há tempos conheci um rapaz na Internet no IRC
─ Mas tu tens só doze anos!... Já vais para salas de chat? Que idade tem ele?
─ Tem dezasseis anos. Temos falado muito pelo IRC. É super simpático.
─ Já te sentes atraída por rapazes? Pensava que ainda gostavas de brincar com as bonecas. Quando falei se já tens namorado era a brincar.
─ Gosto de falar com ele, temos os mesmos gostos: musica, leitura, e desporto. Mas ultimamente anda com umas conversas esquisitas. Eu não entendo o que quer dizer.
Inês fez uma pausa para limpar as lágrimas com um lenço de papel que Eduardo lhe estendeu.
─ Acalma-te e conta-me tudo desde o início ─ Pediu o tio Edu
─ Foi assim: nas férias da Páscoa comecei a ir ao IRC. Uma amiga ensinou-me. Pouco depois um rapaz veio meter conversa comigo e ficámos amigos virtuais. Começaram as aulas e quando eu vinha para casa passava o tempo com ele no MIRC e não estudava. Ele é muito simpático e gosto muito de estar com ele, mas diz que está longe e que não nos podemos encontrar por enquanto. A minha amiga tem-me dado conselhos. Falo muitas vezes com ela ao telemóvel e tenho gasto montes de dinheiro a carregá-lo. A minha mesada vai toda em pouco tempo e tenho de inventar desculpas para a minha mãe me dar mais dinheiro.
─ Ah! Continua…
─ A minha mãe já anda desconfiada e não sei o que fazer. Queria continuar a poder falar com a minha amiga. Sem ela não era capaz de manter uma conversa com o meu amigo virtual. Ele fala super bem, é muito educado, divertido e sabe muitas coisas.
─ Hum!!! E deixas de estudar para estares com ele?
─ Eu não quero deixar de estudar, mas ele atrai-me muito. O que devo fazer tio Edu?
─ Que tipo de coisas é que ele sabe?
─ Muitas coisas sobre o mundo, a vida, sei lá!...
─ Já pensaste que para quem tem 16 anos parece muita sabedoria?
─ Não sei. Achas?
─ É uma hipótese e acho que deves ter muito cuidado. As pessoas nem sempre mostram aquilo que são e na net ainda é pior.
─ Se ele me anda a enganar e for mais velho não me importo. A minha amiga diz que ele gosta muito de mim e aconselha-me a pedir para me encontrar com ele. Ele também quer isso, mas diz que por enquanto não pode que está longe, mas que um dia será.
─ E a tua amiga tem que idade?
─ Quinze anos.
─ Ah. E se ele for muito mais velho do que tu? Tiver idade para ser teu pai ou mais até do que isso? Tipo quarenta anos ou mais…
─ Achas possível um homem mais velho perder tempo com crianças de 12 anos?
─ Ouve o que te vou dizer! Tem calma, não faças asneiras e confia em mim. Desconfio que estás a lidar com um grande sacana.
Inês começou a soluçar.
─ Não chores, fofinha! A vida é cheia destas coisas, infelizmente. Diz-me uma coisa…tu quando precisas de estudar a sério para um teste, história, por exemplo, isso não custa um bocado? Não tens de ler e ler muitas vezes? É sacrifício, dor e gastos de energia. Pois bem, aprender a viver também custa muito, por vezes, e quando há dor na aprendizagem é quando as coisas ficam melhor gravadas em nós. Se eu descobrir que o gajo é um enganador, tens de estar preparada para aceitar isso como uma aprendizagem boa para a vida. Ganhas experiência e nunca mais cairás noutra. Tu já lhe contaste muitas coisas sobre ti?
─ Sim, ele sabe tudo a meu respeito.
─ A tua idade, o que fazes…deste-lhe alguma fotografia…
─ Sim, tudo isso.
─ Ok. Vais prometer-me duas coisas em troca da promessa de eu não contar nada aos teus pais.
─ Quais?
─ Primeiro vais prometer que não tomarás nenhuma decisão a respeito do tal gajo sem falares comigo primeiro e não farás também nenhuma asneira. Alguma coisa que penses fazer, conta-me primeiro, ok? Fica prometido?
─ Sim, fica! ─ Respondeu Inês com convicção
─ A segunda coisa é que serás tu a contar aos teus pais. Não precisa de ser agora já, mas apenas quando eu te der notícias sobre isto.
─ Mas quando eu lhes contar quero que estejas presente.
─ Conta comigo. Sempre amigos?
─ Sempre!
─ Não descuides os estudos e tenta usar pouco o telemóvel para falares com a tua amiga. Dá uma desculpa qualquer. Andas a pedir conselhos a quem sabe tanto da vida como tu. Agora preciso de saber o nick dele e também o teu, e ainda a tua password associada ao nick.
─ O dele é gato_cinzento e o meu é esmeralda. A minha password é…
─ Ok. Não te esqueças do que eu te disse sobre como deves proceder e aguarda noticias minhas. Tudo vai correr bem, não fiques preocupada.
─ Bigada, tio Edu. ─ Agradeceu Inês beijando na face.
─ Deixa-te disso! ─ Respondeu Eduardo comovido. ─ Vamos ao jogo?
Bateram à porta do quarto.
─ Entra! ─ Disse a Inês limpando os vestígios das lágrimas rapidamente.

Continua...

44 Comments:

Anonymous tb said...

que bom e terno este pedaço de amor derramado em jeito de continuação de história. Como faz falta um tio Edu à maioria de todas as crianças do mundo...
No virtual ou no real quem pensa enganar os outros é a si que engana. E a mentira não pode durar para sempre, apenas enquanto a verdade não chega.
Gostei muito.
Beijinhos

6:25 pm  
Anonymous mar_praia said...

Tão real esta parte da história! E que abordagem excelente a vossa a este problema que tente a expandir-se!

Gostei imenso!

Beijinhos grande e votos de um excelente fim-de-semana!

6:39 pm  
Anonymous Maria said...

A Estória continua interessante! Beijinhos para a Isa e Luis.

7:04 pm  
Blogger A Cor do Mar said...

Nao tenho bem a consciencia ~de como evoluiu o mIRC. Andei por lá alguns anos, e sei que cada vez ficava mais negativo:((( Mas ainda bem que aqui existe o tio Edu, oxalá todos pudessem te um. Muito real toda esta vossa historia.
Beijinhos e b f semana ;**

7:36 pm  
Blogger Papoila said...

Muito bom este novo episódio. De novo os problemas da net e dos perigos do virtual. Bonito o diálogo do tio Edu com a Inês.
Beijo

9:51 pm  
Blogger ≈♥ Nadir ♥≈ said...

Muito bom este episódio, espero para ler o próximo entretanto deixo um beijo

10:21 pm  
Anonymous woman's secret said...

De passagem e a correr para te desejar um bom fim de semana
beijinhos

10:21 pm  
Blogger soli-arte said...

mais uma vez aqui estou. e mais uma vez gostei.Voltaram ao tema do irc, de como ele pode ser um lugar para passar algum tempo junto de amigos virtuais, mas tambem se pode transformar em algo de mau.
Fico a aguardar a continuidade da historia da Inês.
Tenham um bom fim de semana

6:52 pm  
Anonymous Anonymous said...

Fiquei deveras surpreendida com a excelente intervenção do tio Edu, muito interessante esta abordagem a este problema.
Gostei imenso!!!
Um abraço ao sabor do mar…
Regina

8:21 pm  
Anonymous furta_cores said...

Fizeram muito bem em abordar este "tema" sobretudo porque casos destes são, infelizmente, tão frequentes. Agora só faltava ser o sacana do militar...

beijinhos e até ao próximo captítulo

9:47 pm  
Blogger augusto said...

Olá.
Tenho andado a dormir pela net e de quando em vez acordo para ter uma surpresa.
Já vai na parte 52?
Pois bem, vou ter de começar pelo princípio.
Comentários? - Só no fim do jogo...

Entretanto vai daqui um pouco da minha amizade. Até breve.

10:33 pm  
Anonymous Carla said...

Ola, mais uma vez cá estou para acompanahr o conto, esta semana foi excelente abordagem deste tema, está muito real, adorei, beijinhos

10:53 pm  
Blogger MoonLight said...

Uau! Fantástico!
Ainda bem que existe um tio Edu pelo meio... ou a Inês poderia ficar em maus lençóis!
Mais uma abordagem a um tema actualíssimo e preocupante. Estão de parabéns!
Bjs de Luz

11:25 pm  
Blogger Alexandra said...

Mais uma vez os meus parabéns pela escrita e por colocarem em ficção aquilo que hoje é uma realidade que pode ser avassaladora!

Beijos!

3:45 pm  
Blogger Alexandra said...

Sorryyyyyyyyyyyyyyy

Deixei-vos mensagem no post da semana anterior ;)

Bjokas

3:45 pm  
Blogger Eu said...

que bom que era que existisse sempre um tio deste. todos os pais podiam ficar descansados...

5:11 pm  
Blogger zezinhomota said...

Uma boa semana para vocês.

Abraços

ZezinhoMota

5:31 pm  
Anonymous angel said...

A vida é uma grande lição.
Aceite os seus desafios e
não se esqueça nunca de Ser Feliz.
Tenha uma semana MARAVILHOSA!!!
BJS NO CORAÇÃO!

6:34 pm  
Blogger Kalinka said...

ISA & LUÍS

A história continua e hoje apercebi-me da existência de um André, nome que agora ressalta cada vez que o leio ou oiço, porque o meu pequenito chama-se André.

Continuação de boa semana.
Beijos ternurentos.

2:16 am  
Anonymous meialua said...

Continuo a acompanhar. Beijokas p/ os dois. ;o)

10:11 am  
Anonymous segundavida said...

Esta parte, além de interessante é muito positiva no sentido de mostrar o bom exemplo do Eduardo que com a sua experiência tenta ajudar uma criança pré-adolescente num dos maiores problemas do mundo virtual. Penso que a questão do "gato_cinzento" (raposa_manhosa)é muito bem encaminhada pelo Edu e seria bom que muitas crianças lessem também esta parte do VR, talvez lhes servisse de ajuda ou de aviso. Um abraço.

10:33 am  
Anonymous segundavida said...

...continuação, ficou "pendurada" a opinião ao Edu sobre a tatuagem e o piercing que a Rita tanto gostaria de ter, que também é um tema muito importante e actual. Abraços.

10:38 am  
Anonymous PEdra da Lua said...

Olá! Cá passei d novo a ver q se ia passar a seguir... parece q já estou a imaginar o q se vai passara seguir mas nao vou contar:P podiam ter falado sobre as tatuagens e os pircings pois começaram a conversa mas depois nao se percebeu mt bem... Beijinhos

11:26 am  
Blogger o lápis said...

:) e a saga continua!!!

Como é que voces fazem??? Semeiam ideias de noite???


Beijinhos

Van

4:40 pm  
Blogger Pérola said...

Agradeço a tua visita. Volta sempre.
Entrei apenas agora nesta escrita que me parece óptima, mas já vai longa. Assim sendo, tenho muito para ler, para poder entrar no conto.
Sei apenas que o aspecto que focas neste episódio e muito importante. Os nossos filhos não estão tão protegidos como pensamos. No fundo, é essencial haver mais abertura com os filhos, mais diálogo, para podermos acompanhar todas as suas aventuras nesta arte de viver.

6:04 pm  
Blogger Catarina Pati said...

Ai ai!! A minha alergia aos chats acentua-se :):) so de pensar que as minhas "formiguinhas" (sobrinhas) possam meter conversa com estranhos deixa-me de cabelos em pé!
Bjtos

3:34 pm  
Blogger ≈♥ Nadir ♥≈ said...

Feel this... just a blowing kiss...

3:45 pm  
Anonymous aflores said...

Saudações bloguistas ;) do regressado de férias.

8:47 pm  
Anonymous In Loko said...

Estava a ler este capítulo e a reviver mentalmente outros tempos. O tempo dos posters nas paredes, as conversas, de toda a ordem, que se dão na net, etc. Continuo a falar muito pela e na Net, mas são conversas já a outro nível... a inexperiência e ingenuidade já lá vao! Mais um bom capítulo meus amigos... (e é assim mesmo tio Edu, toca a aconselhar a pequena Inês)... Beijo e abraço.

4:35 am  
Blogger maresia_mar said...

Olá meus queridos amigos.. até me sinto mal por estar tão ausente e estar a perder estes capitulos, que raiva!! logo à noite em casa vou tentar por-me em dia sim?? estou desculpada não estou??? Bjhs muito grandes
ps: Isa adorei o poema, terás destaque brevemente

12:27 pm  
Blogger amigona said...

Gostei... vou ficar à espera da continuação... beijo...

2:13 pm  
Blogger Natalie Afonseca said...

OLá!Olá!!

POr aqui passei rapidinho para vos deixar um beijinho!!
(não era suposto rimar...:P)

Beijossssssss

4:14 pm  
Blogger Fernanda said...

Senti uma dorzinha no coração... ouvimos tantas histórias parecidas. Ficarei esperando o desfecho dessa...
Adorei esse blog! Diferente, original e muito cativante...
Bjs e lindo dia!!!
E obrigada pela visita!!

5:34 pm  
Anonymous MEDUSA said...

Pois... a adolescência e os seus grandes dilemas!
Afinal, não custa nada ouvi-los, assim eles nos queiram contar o que lhes vai na alma...

Um beijinho e um eco de mim

5:55 pm  
Blogger Luisa said...

É um perigo, que se desconhecia aqui há anos atrás, a má utilização da Internet por parte dos miúdos. Os pais deviam estar mais atentos ao que os filhos fazem nesse campo. Quantas histórias trágicas se poderiam evitar!

6:38 pm  
Blogger Rosmaninho said...

Isa&Luís

Comecei a acompanhar o crescimento da Inês...
Felizmente tem um tio que é um excelente observador!
Por vezes, os pais "distraem-se" e os filhos crescem aceleradamente...
Muitos são os perigos que dentro de casa existem, há que estar sempre atento de forma a que o diálogo pais/filhos não se extinga.
--------

Rapidamente...esta história deverá continuar :):):).

~*Um beijo*~

8:25 pm  
Blogger Kalinka said...

ISA & LUÍS

Volto cá para vos convidar a visitarem o kalinka.
E, se alguém vos perguntar:
O que é o Amor?
aceitem o desafio e participem.

Vocês até sabem escrever tão bem... e, amanhã é dia de sair mais um bocado da «vossa história».

Beijokas.

8:55 pm  
Blogger Lovely_Girl said...

cara isa e caro luis, venho vos mostrar o meu novo espaço e felicitar.vos pelo ano que comprectou o virtual realidade

parabens!

beijinhosss

9:38 pm  
Anonymous Ane said...

Olá!O que vcs descrevem no texto é mais comum do que se pensa.Outro dia saiu uma reportagem na TV sôbre isso.Temos que ter muito cuidado!O cartão no post anterior é lindo!Bjos pra vcs!

1:27 am  
Blogger Micas said...

Estava a ler este texto e pensar que na maioria das vezes estas situações acontecem mesmo por falta de comunicação entre pais e filhos. Só de pensar que daqui a uns anos tb vou ter filhos na idade adolescênte...
Excelente texto.
Beijos e bom fim de semana

7:26 am  
Anonymous meialua said...

Bom fim de semana ;o)
Beijokas para os dois*

8:40 am  
Blogger lena said...

mais um capítulo do romance, Isa e Luís,

o tema hoje é complicado mas interessante,

muitas vezes tudo resulta da falta de dialogo ou a falta de confiança que existe entre pais e filhos.

educar sempre com a verdade, é o melhor caminho,

entre filhos e pais tem de haver cumplicidade e uma amizade sem limites, não nos basta o amor que temos por eles

como sempre gosto de vos ler,

sempre com temas que nos fazem pensar e muito actuais

meus queridos amigo, fica um abraço carinhoso que vai para além do virtual e beijinhos muitos, sempre salgadinhos

lena

10:09 am  
Anonymous Nanci said...

Bom seria se adolescentes, crianças tivessem mais confiança e fossem mais amigos dos pais para ter com eles conversas sinceras...Sorte desta jovem ter em seu caminho este amigo a orienta-la...e vou-me ao proximo capítulo

beijos mil

4:50 pm  
Blogger XannaX said...

meus amigos, um grande caminho tenho a percorrer para me por a par da vossa história que entretanto abandonei. Entretanto, os meus parabéns pelo aniversário.
beijinhos

12:00 am  

Post a Comment

<< Home