Name:
Location: Portugal

Friday, August 11, 2006

Virtual Realidade Parte 48


Pamplona, capital navarra, cidade estudantil, bem arrumada nas suas ruas largas e amplos espaços verdes com árvores variadas, deu as boas vindas a Luísa e a Rita com um belo entardecer: no horizonte o crepúsculo sorria. Na rua havia alguns turistas que passeavam tranquilamente.
O táxi levou-as ao hotel Iruña Park. Estavam radiantes, mas no fundo dos seus olhos notava-se uma pontinha de apreensão.
Durante o caminho Rita tinha decidido que, quando chegassem ao hotel, iria contar à mãe o que tinha feito; não estava bem consigo própria.
Depois de instaladas e confortáveis, Rita achou que era o momento ideal para falar com a mãe.
─ Mãezinha, preciso de te contar uma coisa. Há muito que ando para o fazer, mas não tenho tido coragem. Não é nada agradável o que tenho para te dizer, mas foi uma falta grave que cometi e tenho de a assumir.
─ Estou a ficar curiosa e preocupada, do que se trata filhota? Vamos lá, Rita, sabes que estás à vontade comigo.
─ Lembras-te quando estiveste no Algarve com a Sandrine e eu fiquei em casa a estudar?
─ Lembro-me muito bem. O que foi que fizeste assim de tão errado na minha ausência?
─ Entrei no IRC com o teu nick e falei com o Eduardo fingindo que eras tu.
─ E porque fizeste isso, filha?
─ Para saber coisas sobre ele, se era sincero e honesto contigo.
─ E o que aconteceu, de que é que falaram? Ele descobriu que não era eu?
─ Sim deve ter desconfiado porque achou que aquela Luísa era estranha, não dizia as coisas certas nem as habituais.
─ Pois tu não estavas a par das nossas conversas! ─ Luísa sorriu
─ Pois não! Perdoas-me mamã? Estou muito arrependida de ter feito aquilo, mesmo tendo sido com a intenção de te proteger.
Luísa não respondeu logo e tinha um ar pensativo.
Rita estava ofegante e ruborizada, os seus olhos lacrimejando, esperando a reacção da mãe. Luísa ouvia atentamente.
─ É claro que ele não é burro e logo concluiu que não sendo eu era alguém que me conhecia muito bem, alguém da casa, que usava o mesmo registo. É mais do que certo que ele sabe quem foi, uma vez que sabe que existes, o que fazes e que somos as duas únicas pessoas da casa. Eu já lhe contei tudo isso.
─ Mãezinha perdoa-me por esta atitude. Estou deveras arrependida. Mas naquele momento pensei que estava a fazer o melhor. Não queria que sofresses.
A tristeza apoderou-se por momentos do rosto de ambas, mas passados alguns minutos, mãe e filha abraçaram-se.
─ Eu teria preferido que as coisas tivessem corrido de outra forma. Que tivesses confiado em mim. Mas fico feliz por tu te preocupares comigo, sinal de que aprendeste algo, a ser uma pessoa sensível atenta ao que se passa à tua volta, mesmo que não tenha sido a atitude mais correcta. Da minha parte estás perdoada. O Eduardo nunca me disse nada sobre este assunto. Gostaria que fosses responsável pelos teus actos e quando pudesses pedirias desculpa ao Eduardo pessoalmente. Penso que pela conversa que tivemos ao telefone é essa a surpresa, o querer conhecer-me pessoalmente.
─ Mãezinha obrigada pela tua compreensão. Eu pedirei desculpa ao Eduardo logo que tenha essa oportunidade. Hoje penso que ele tem dado provas de que realmente é uma pessoa espectacular. Torcerei para que tenham um bom encontro!
─ O que é que tu queres dizer com isso? ─ A ideia punha no rosto de Luísa uma alegria de adolescente apaixonada.
─ Quero dizer que esse encontro seja a realização dos teus sonhos, mamã querida!
Luísa enrubesceu e desviou olhar da filha.
─ Sabes, o Eduardo é um homem sofrido, tem dificuldade em se entregar, não é pessoa espontânea nos seus sentimentos, esconde as emoções. Ele na sua mente só tem um objectivo, a defesa, uma espécie de cofre-forte. Já falamos há perto de um ano, passámos horas e horas a falar, e fui captando aos poucos a sua maneira de ser. Ele é um homem bom. Eu, ao contrário, funciono de maneira diferente, as minhas dúvidas, inquietações, sonhos, medos, confiei logo tudo a ele.
Rita notou a atrapalhação da mãe e sorriu.
─ Não precisas de ficar corada assim, mãezinha! Eu compreendo. Se ele finalmente decidiu conhecer-te ao vivo é porque tem intenções a teu respeito.
─ Achas isso? Também tenho esperança de que sim.
─ Estou convencida disso. Se assim não fosse continuaria tudo na mesma. Só há um motivo para te querer ver.
─ E qual é esse motivo?
Luísa sabia qual era mas queria ouvi-lo da boca da filha. Assim a esperança dela ficaria reforçada: duas cabeças a pensarem o mesmo só poderiam estar certas.
─ Quer ver-te para se declarar, pois que outro motivo poderia ser?
─ Será?!
─ Não queres que seja?
─ Há muito tempo que não quero outra coisa, filha!
─ Então acredita que é certo! E já agora, se te vieres a casar com o Eduardo ficas a saber que ele vai ter de me pedir a tua mão. ─ Disse Rita a sorrir.
─ E tu dás-lha? ─ Perguntou Luísa apreensiva, mas sorrindo também, mesmo tendo naquele momento a alegria suspensa das palavras que a filha iria proferir.
─ Se for essa a tua vontade é claro que dou! Só quero que alcances a felicidade que mereces. Tens a minha bênção!
─ Adoro-te, filhota.
─ Também te adoro, mamushka!
E caíram de novo nos braços uma da outra.
─ Bem, agora querida vamo-nos arranjar, são horas de jantar. Amanhã temos um dia cansativo pela frente.
Jantaram calmamente e regressaram ao quarto. Rita preparou toda a documentação que teria que apresentar pela manhã na Universidade Pública de Navarra.
Dormiu durante toda a noite, tinha sido a noite em que dormiu melhor desde que tinha chegado a terras espanholas. Sentia-se aliviada por ter falado com a mãe e feliz pela compreensão dela sobre o assunto. Saiu da cama e foi abrir as cortinas. Estava um dia lindo, cheio de sol. A mãe estava na casa de banho, apareceu radiante, dando um sonoro beijo á filha.
Depois de tomarem o pequeno-almoço. Apanharam um táxi pertinho do hotel e foram à Universidade. Rita foi para uma sala, onde lhe deram as boas vindas; estavam muitos alunos, uns caloiros como ela e outros dos anos seguintes, a praxar os que entravam pela primeira vez. Teve que preencher vários requisitos e formulários.


Rita estava distraída a ler tudo com a máxima atenção, quando pressentiu que alguém se tinha abeirado dela, ergueu os olhos:
─ Olá, sou a Maria. Precisas de ajuda? És caloira? É a primeira vez que te vejo aqui.
─ Sou portuguesa e chamo-me Rita. Acabo de chegar de Portugal, portanto caloira.
─ Que coincidência, também sou portuguesa. Estou no segundo ano de medicina
Rita sorriu suavemente, pensando que estava á mercê de Maria. Esta leu-lhe os pensamentos e disse:
─ Fica descansada; farei de conta que nem te vi.
Maria ajudou Rita nas dúvidas que tinha. Trocaram algumas impressões. Quando Rita se lembrou da mãe.
─ Estou tão feliz por te ter encontrado! Mas tenho a minha mãe lá fora à minha espera. Fica bem, e obrigada pela ajuda.
Maria ainda retorquiu:
─ Ok. Vamo-nos encontrando por aqui. Caso queiras conhecer a cidade, conta comigo. Não queres trocar contactos?
─ Sim, claro! Obrigada mais uma vez.

Continua...

29 Comments:

Anonymous Maria said...

OBRIGADA PELA VISIT E COMENT! ISA E LUIS OBRIGADA PELO CARINHO! BEIJIINHO PARA VOCÊS DOIS! FINALMENTE MÃE E FILHA CHEGAM A PAMPLONA! GOSTEI DA CORAGEM DA FILHA EM CONTAR Á MÃE... E A COMPREENSÃO DA MÃE PARA COM A FILHA! PARABÉNS PELA LINDA ESTÓRIA!

8:05 pm  
Anonymous Maria said...

Os textos que escrevo, não são obra minha, mas sim copiados na integra da Bíblia viva uma edição moderna!Peço desculpa por ter escrito em maúsculas!Sou cristã Feliz! Não sou fanática!Sou apaixonada pelo próprio amor! Daí ter este blog " blogamor" em que conto essas histórias que mudaram o destino da Nação de Israel. E creio que o amor pode mudar "tudo"! beijinho Luis e obrigada pela visita e comentário!

9:02 pm  
Anonymous tb said...

Interessante o que se pode ler nas entrelinhas...
Beijinhos e parabéns pela história que vcs con~tam de uam forma tão bem contada.
Atenção ao texto contém algumas irregularidades.
mais beijos

10:24 pm  
Blogger ≈♥ Nadir ♥≈ said...

Que o sol seja o sorriso a dançar no teu rosto.
Bom fim de semana
Beijos

12:29 am  
Blogger margusta said...

Venho deixar-vos um beijinho e agradecer as palavras simpaticas que sempre deixam ficar no meu cantinho.
Lá para Setembro espero ter mais tempo...aquele tempo que ainda não consegui dispensar-vos como queria :(((
Bom fim de semana!

12:39 am  
Anonymous Nylda said...

Olá...
A amizade é uma grande conquista, e mesmo que
estejamos perto ou longe, presentes ou não, a simples
manifestação de carinho e atenção mesmo que
seja através dos recadinhos já trazem grandes
energias positivas em nosso dia.
Obrigada por fazer
parte do meu dia dia.
Bom Fim de Semana.

(¯`♥’´¯)-:¦:-
`·.¸.·´Mil beijinhos
¸.·´¸.·´¨)¸.·*¨)-:¦:-
(¸.·´ (¸.·´ .·´.·´¯`·♥

e um sorriso.

12:14 pm  
Blogger Micas said...

Gosto imenso deste contos, onde acima de tudo se pode ler muito mais nas entrelinhas...
Ainda bem que a Rita teve coragem de ser transparente com a mãe.
Fico à espera da continuação.
Obrigada pela visita ao meu cantinho.
Beijinho e bom fim de semana

1:32 pm  
Anonymous In loko said...

-Ai Ritinha Ritinha, isso não se faz rapariga, pegar no registo da mãe e fazeres-te passar por ela para descubrires coisas sobre o Eduardão? Hummm... Bom, mas olhando que a intenção foi boa, protectora... tou como tua mãe, também te perdoo!!!:). E aqueles abraços tão enternecedores! Mais um bom capítulo meus amigos! A propósito,como vós mostrais bons conhecimentos daquela região, as praxes para aqueles lados serão tão parecidas como as deste lado? Beijo Isa, abraço Luis.

6:49 am  
Blogger macmartinson said...

Olá, Isa
passei por aqui para ver como andavam as coisas...Novidades para breve? Boas férias a quem vai e paciência a quem fica e se guarda para outra ocasião !
Até...

8:16 am  
Anonymous Nanci said...

Oi Isa , Oi Luis, estão bem?
Obrigada por iluminar meu cantinho com visita...
A leitura é tão agradável,que me transporto para o mundo de Luísa e Eduardo...É interessante o quanto Luísa pôde sentir Eduardo, qdo fala de sua defesa e dificuldade em se entregar...É algo além deste mundo virtual!

grande beijo, fiquem bem e até a proxima

3:06 pm  
Blogger Natalie Afonseca said...

Meus queridos amigos, lá que continua...continua!! :)

Um beijinho grande para os dois!!
Tenho andado a aproveitar as férias ao máximo! :)
Tem de ser!

Fiquem muito bem!!
Vou lendo as vossas histórias :)

Beijinhos

4:28 pm  
Blogger Kalinka said...

OLÁ ISA & LUÍS

Pelo o que o Luís escreveu no meu blog, ele conhece bem Aveiro...
Amigo, pode ser que a próxima vez que eu visite essa maravilhosa cidade, da qual vi apenas 20% do que há para ver...eu peça que me mostre tudo o que conhece por lá.

Tive curiosidade de visitar também a Barra e a Costa Nova, por isso o tempo não me chegou para tudo, numa tarde, nessa cidade.

Obrigado pela vossa visita.
Beijo com carinho.

6:11 pm  
Blogger aflores said...

Aproveitem o feriado ;)

7:21 pm  
Anonymous collybry said...

Vim agradecer a visita, e continuar a ler esta bela história,
Deixo para os dois,a minha simpatia
num doce esvoaçar...
Cõllybry

5:25 pm  
Blogger HatA/mãe said...

Tenho andado mais caladinha,
a ler os capítulos atrasados, a ver se consigo ligar tudo... nem todos os dias o faço... mas vou lendo com muita calma.

Tudo de bom amigos, continuem escrevendo, pois esta historia parece não ter fim ... e enquando se espera o próximo capitulo, a curiosidade move-nos a voltar ...

Muitos beijos

11:55 am  
Blogger Lmatta said...

estou a gostar muito da tua historia
beijos

3:42 pm  
Blogger Å®t_Øf_£övë said...

Essas trocas de identidades são cada vez mais frequentes, e quase sempre perigosas. Ao que parece neste caso foi uma exepção... mas será que foi mesmo???
Beijos e abraços.

6:31 pm  
Blogger Nilson Barcelli said...

Continuo a ler e a gostar.
Isto vai dar livro...
Abraços.

10:31 pm  
Anonymous Anonymous said...

Oi Isa e Luís!
Tudo bem com vocês?
Vim matar as saudades do seu cantinho. Queria vir mais vezes, mas infelizmente o tempo passa muito rápido. Apesar disso, pessoas queridas, jamais são esquecidas.
Bom restinho de semana.
Um beijo carinhoso.
Regina

8:02 am  
Anonymous Regina said...

Oi Amigos Isa e Luis!
Tudo bem com vocês?
Vim matar as saudades do seu cantinho. Queria vir mais vezes, mas infelizmente o tempo passa muito rápido. Apesar disso, pessoas queridas, jamais são esquecidas.
Bom restinho de semana.
Um beijo carinhoso.
Regina

8:04 am  
Anonymous segundavida said...

Esta troca de identidade nos IRCs, penso que acontece muito no nosso dia-a-dia e quando se é apanhado deve ser realmente embaraçoso, é de realçar os fortes e sinceros sentimentos entre mãe e filha. Um abraço para vocês e um óptimo resto de semana.

2:48 pm  
Blogger A Cor do Mar said...

Ola amigos, vim aqui ler-vos mais um bocadinho, e deixar-vos um beijinho* bom f semana

11:21 pm  
Blogger Rosmaninho said...

Isa&Luís

A Rita, desta vez, não fez o melhor... está arrependida, pensou que fazia o melhor, está perdoada mas... usar o nick que não era o seu :(...

Medicina! Curso que um jovem, que vi nascer, sempre sonhou... Ficou por cá, em Enfermagem, já lá vão três anos...

Que o sonho da Rita continue a realizar-se e que a Luísa alcance a felicidade.

~*Um beijo*~

7:29 pm  
Blogger soli-arte said...

ola menina.
andei atarefada esta semana e só hoje li este capitulo
Gostei.Finalmente a filha contou aquele pequeno "incidente" no pc, e a mãe entendeu as suas razões.

A mmaria... bem vamos aver que papel vai ter na historia.
beijos amiga
Soli

3:58 am  
Blogger MoonLight said...

Pronto... Cá estou eu de volta!
...lol...
E como não pude ler o post da semana passada, esta semana tive o meu 2 em 1...lol... Afinal sempre era possível... bastava mudar era alguma coisa da minha parte!
Fiquem bem... adorei... espero o próximo episódio.
Bjs de Luz

11:59 pm  
Anonymous Anonymous said...

Wonderful and informative web site. I used information from that site its great. » » »

1:21 pm  
Anonymous Anonymous said...

That's a great story. Waiting for more. acura rsx used Private school lesbians web site affiliate program Neurontin law suits ny

8:53 am  
Anonymous Anonymous said...

Looking for information and found it at this great site... Facilitator certification in project management Cost for acne scar treatment Breakers button circuit push lasik surgey Books on cellular phones Cellphones by powertel http://www.certificate-nursing-school-and-ohio-online.info/storagecabinethon783624.html Dixie foam mattress nyc canadian antique corner cabinet wood two piece Cholesterol and cerebro vascular strokes Mortgage broker quality control manual mobile home medicine cabinets Sex of a bird Padded floor mats generic zyban

1:14 am  
Anonymous Anonymous said...

Best regards from NY! video editing schools

4:20 pm  

Post a Comment

<< Home